Marketing Político: Saiba tudo sobre esse tipo de marketing

O marketing político é um tipo de marketing cujo o conjunto de estratégias e técnicas de comunicação tem o objetivo fim de posicionar um candidato a eleição de modo favorável junto a seu eleitorado.

Portanto, envolve diversos esforços de marketing para que o público-alvo da campanha política favoreça determinado candidato.

Esse tipo de marketing se tornou essencial na sociedade complexa em que vivemos, principalmente em governos democráticos.

Vamos explorar aqui a importância do marketing político e como ele molda a História.

O que é Marketing Político?

O Marketing Político é o conjunto de técnicas de marketing que visa fazer com que um candidato eleitoral seja conhecido e favorecido pelos seus eleitores.

Nesse sentido, o marketing político nada mais é que direcionar estratégias de marketing para ampliar e favorecer uma pessoa.

Nesse caso, o candidato ou candidata.

Por definição, o marketing são os esforços a fim de levar um produto ao mercado a fim de atrair a atenção do público.

Se pensarmos por esse ponto de vista, o produto então que estamos levando ao mercado é o candidato.

E o público-alvo é o eleitorado.

Dica Pro: Se você quer conhecer mais sobre como posicionar um produto no mercado, leia o nosso conteúdo sobre Posicionamento de Marketing.

Qual a importância do marketing político?

Como falamos no início, o marketing político se tornou importante nas sociedades modernas e complexas.

Principalmente em governos democráticos, onde o povo elege seus representantes através do voto.

Com o crescimento da população e, consequentemente, do número de candidatos a se eleger, ficou difícil conhecer a todos e suas propostas.

Por isso, o marketing político desempenha um papel fundamental para que a população não apenas conheça os candidatos, mas compreenda suas propostas de governo.

Qual a diferença entre marketing político e propaganda política?

A Propaganda Política é uma das principais armas para que se ganhe o favor da população.

Por sua vez, ela é uma parte de uma estratégia de marketing político.

O marketing político em si, é uma estratégia mais abrangente que contempla diversas técnicas e ferramentas, dentre elas a Propaganda.

Mas, é preciso dizer que a propaganda política talvez seja uma das ferramentas mais importantes.

Afinal, é através dela que um candidato fica conhecido pelo seu público.

Exemplos de marketing político

Pode não parecer (porque é esse o objetivo), mas muitas eleições foram ganhas através de uma boa estratégia de marketing político.

Vamos citar alguns exemplos, independente de partidarismos ou ideologias políticas.

Hitler e o partido Nazista

Adolf Hitler e seu partido nazista ganhou o favor da população alemã através de grandes ações de marketing político.

Vale destacar o profundo conhecimento da Persona que seu time de marketing possuía.

Eles compreendam o cenário local, as demandas e os desejos mais profundos da população e usaram isso para conseguir ganhar apoiadores políticos e civis.

Depois, continuou usando a propaganda política a seu favor, obtendo grande apoio da massa da população alemã e uma parte da Europa, mesmo com intenções cruéis.

Joseph Goebbels, que foi ministro da propaganda na Alemanha Nazista, era tipo como a grande mente por trás das técnicas que levaram o partido nazista tão longe.

Che Guevara e a Revolução Cubana

Um exemplo de marketing político com pouca verba dispendida é a de Che Guevara.

Che Guevara se tornou um símbolo de rebeldia e revolução.

Seu rosto se eternizou em materiais como camisetas e bonés, simbolizando a contra-cultura.

Ele se tornou ministro da Indústria em Cuba e usou tática de marketing de Guerrilha para ganhar o favor do público que defendia.

Mais uma vez, conhecer a persona e o público-alvo foi essencial para que a campanha fosse um sucesso.

Donald Trump e a Verdade Relativa

Ao se candidatar para a Presidência dos EUA, Donaldo Trump usou de artifícios do Neuromarketing para ganhar o favor do seu eleitorado.

Através do uso de dados, ele entendeu seu público-alvo e criou um personagem capaz de despertar ideais adormecidos em milhões de americanos.

Além disso, utilizou de gatilhos mentais diversas vezes em suas campanhas, gerando dúvidas e desconfiança do atual sistema político.

Por fim, usou com maestria as Redes Sociais para alcançar o seu público sem os filtros que poderiam barrar sua proposta de governo.

Depois, isso teve consequências que levaram ao bloqueio de Donald Trump das redes sociais, o forçando a criar a sua própria.

Jair Bolsonaro e as Redes Sociais

Para finalizar com um exemplo brasileiro, tivemos a eleição de Jair Bolsonaro em 2018, com ampla utilização das redes sociais para disseminar sua proposta de governo.

Semelhante à estratégia utilizada por Donald Trump, sua equipe escolheu usar o marketing de guerrilha para combater um inimigo comum, a imprensa.

Então, utilizando principalmente o Whatsapp e grupos fundamentalistas, conseguiu atingir o seu público e fazer sua campanha.

Dessa forma, Jair Bolsonaro conseguiu o favor da maioria da população brasileira em 2018, vencendo seus concorrentes, sem nem mesmo tendo participado de um debate nos canais de massa.

Mais uma vez, o poder das redes sociais foram fundamentais no marketing político.

Como Fazer Marketing Político

Para fazer marketing político, como vimos, devemos entender que precisamos utilizar de diversas técnicas dentro do marketing, principalmente o digital.

Em qualquer campanha eleitoral de sucesso hoje, vamos encontrar as seguintes estratégias:

Videomarketing

O videomarketing é uma estratégia de marketing por vídeo.

O vídeo é hoje o formato de conteúdo mais consumido no mundo.

Portanto, uma boa estratégia de marketing político precisa envolver o videomarketing.

Por exemplo, vemos muitos candidatos mostrando seu trabalho gravando Lives e conteúdos audiovisuais de seus trabalhos e esforços políticos.

Isso mostra ao eleitorado que o candidato está cumprindo o que prometeu e que merece ser favorecido novamente em uma reeleição.

Você sabia? O Marfin Studios criou toda a campanha de vídeos do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), incluindo a do vereador eleito Marcelo Arar.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

Uma publicação compartilhada por Marfin Studios (@marfinstudios)

Marketing de Redes Sociais

As redes sociais tomaram um papel fundamental no marketing político.

Um bom posicionamento e presença digital pode fazer ampla diferença no orçamento de campanha e também no nível de aprovação do candidato.

Então, para uma estratégia de marketing político ser bem sucedida, ela precisa considerar as principais redes sociais como uma poderosa ferramenta de campanha.

Tráfego Pago

O tráfego pago é a estratégia de marketing digital que consiste em utilizar anúncios e publicidade na internet para atrair e converter novos clientes.

A cada nova eleição, vemos novos recordes em orçamentos de campanha sendo utilizado em tráfego pago.

Afinal, as redes sociais podem alcançar milhões de potenciais eleitores e o tráfego pago consegue trazer dados mais confiáveis do que a simples panfletagem nas ruas, por exemplo.

Além disso, existe uma ampla correlação entre o orçamento de campanha em anúncios com o vencedor nas eleições.

Por isso, toda estratégia de marketing político de sucesso vai ter um bom uso de uma estratégia de tráfego pago.

Marketing de Conteúdo

O grande guarda-chuva que sustenta todas essas estratégias é o marketing de conteúdo.

Produzir conteúdo é essencial para que um candidato fique conhecido e possa explorar suas propostas junto ao seu eleitorado.

Entre os tipos de conteúdo, podemos citar:


Agora, você pode ficar por dentro de tudo o que há de mais novo no marketing digital.

Você precisa apenas entrar para o nosso Grupo do Whatsapp e vai receber conteúdos diários com a novidades desse universo.

grupo whatsapp marfin
Ivan Cordeiro Junior
Ivan Cordeiro Junior
CEO e Fundador da Marfin. Engenheiro de Software e Especialista em Marketing Digital com mais de 10 anos de experiência de mercado e dezenas de formações internacionais, incluindo Google e Meta (Facebook).

Compartilhe:

Você também pode gostar: