7 Dicas de Neuromarketing para usar em sua Copy

Neste conteúdo vamos explorar algumas dicas de neuromarketing para que você possa utilizar na hora de criar conteúdos. Anote e aproveite cada uma delas.

GRUPO DE TELEGRAM MARFIN

O neuromarketing é a combinação da neurociência com táticas de marketing.

O objetivo é usar gatilhos mentais e vieses cognitivos para atrair a atenção dos potenciais consumidores.

Mas, você sabe como aplicar o neuromarketing no seu negócio?

Uma das maneiras de fazer isso é incluindo essas técnicas no seu conteúdo.

E uma das técnicas mais importantes ao se produzir conteúdo é o copywritng.

Então, vou te mostrar algumas dicas de como usar o neuromarketing no copywriting.

1- Use 2 números nos títulos

O cérebro está conectado a números, o que explica porque as pessoas amam tanto as listas (como essa que estamos fazendo).

Na cabeça da sua audiência, as listas são atalhos que ajudam ele a escanear o conteúdo.

Os números podem tornar o conteúdo mais fácil de digerir, induzindo o cérebro a supor que é mais eficiente consumir ele também.

Além disso, os números também dão ordem ao caos. Eles ajudam quem lê o conteúdo a verem e alcançarem o objetivo final e serem recompensados com uma liberação de dopamina.

Portanto, use números nos títulos dos seus conteúdos.

E dobre esse efeito usando 2 números:

“11 dicas de xyz que aumentaram 340% meu abc”, por exemplo.

Outra dica é instigar ainda mais o que tem dentro do conteúdo, provocando uma ação que sua audiência não pode perder.

Por exemplo: “11 dicas de xyz que aumentaram 340% meu abc. A Dica n.º 9 me deixou chocado.”

Isso vai despertar a curiosidade em que lê e querer acessar o conteúdo para descobrir o que tem nele.

2- Coloque Adjetivos Benéficos

Adjetivos benéficos em títulos e subtítulos explicam porque seu conteúdo merece atenção.

Mas, o que é um adjetivo benéfico?

É uma qualidade positiva.

Por exemplo, vemos vários todos os dias:

  • Novo;
  • Grátis;
  • Exclusivo;
  • Único.

O problema nisso é que quando a audiência olha para adjetivos como esse, eles pensam: “Beleza, mas todo mundo diz isso.”

Então, aqui vai uma dica de neuro copywriting: combine dois adjetivos benéficos raramente combinados nos títulos.

Certifique-se de que ambos os adjetivos estejam relacionados a um substantivo e apelem às emoções do leitor, como:

“35 maneiras baratas e engenhosas de ter a melhor aula de todos os tempos.”

“O Melhor guia Gratuito sobre Marketing e Vendas”.

“12 Dicas Práticas e Exclusivas para Viajar com pouco dinheiro.”

3- Faça perguntas

Dado que as pessoas geralmente escaneiam o conteúdo para verificar se vale a pena, preste muita atenção aos seus subtítulos.

Use-os para fazer uma pergunta.

As perguntas usam o instinto social – o mecanismo interno do cérebro para assumir o que os outros sabem, querem e sentem.

Além disso, as perguntas esclarecem o que o público aprenderá ao ler.

Elas despertam a curiosidade do público para responder algo que elas não sabem.

Dica de ouro: não deixe as perguntas apenas nos títulos. Procure lugares interessantes no seu texto para inserir perguntas e torná-lo mais fluido.

4- Formate os títulos como citações

Uma das dicas de neuromarketing na sua copy para títulos e subtítulos é fazer uma citação.

Pegue uma frase do seu texto no blog e formate ela como uma citação ou faça citações de especialistas do setor, se elas se encaixarem no contexto.

Por que essa dica de neuromarketing funciona?

As aspas sinalizam Experiência, Autoridade e Confiabilidade (EAT) — atributos que o público e o Google apreciam.

Por exemplo:

  • “Eu testei um novo método de podcasts. E deu certo!”
  • “As buscas no Google nunca mais serão as mesmas.”
  • “Nada é difícil se for dividido em pequenas partes.” — Henry Ford.

5- Use o Método Socrático

O método socrático é um diálogo argumentativo entre indivíduos que fazem perguntas para estimular o pensamento crítico.

Como o nome diz, surgiu do antigo filósofo grego Sócrates, que costumava usar perguntas para chegar na resposta final para uma discussão.

No marketing de conteúdo, você pode usar esse método para puxar gatilhos mentais que os façam pensar.

Por exemplo:

  • “Quer saber como se tornar um escritor?”
  • “Precisa de orientação para mapear sua nova carreira?”
  • “E se você tivesse um mentor que te ajudasse nisso?”

Por fim, use 3 perguntas, pois o cérebro mantém 3 gravadas na memória.

6- Escreva com palavras poderosas

Palavras poderosas empurram seu público na direção que você deseja que eles sigam.

Os verbos imperativos e os adjetivos descritivos indicam, explicam e adicionam ação ao seu conteúdo.

Por exemplo:

  • “Faça”,
  • “Descubra”,
  • “Audite”,
  • “Conduza”,
  • “Comece”.

Logo, quando você escreve um conteúdo e seu público lê, é como se você tivesse contando uma história para alguém.

Então, incentive ele a agir e o encoraje usando palavras poderosas.

7- Considere usar linguagem negativa

O medo é um motivador humano primário.

Ele induz as pessoas a agir.

Por isso, ele pode ser seu aliado na hora de construir conteúdo persuasivo.

Quando as pessoas leem palavras negativas, como:

  • danoso,
  • idiota,
  • travamento,
  • travado,
  • desonesto,
  • falha,
  • erro e
  • nunca,

Elas ficam confusas, se sentem desconfortáveis e começam a se preocupar, mesmo que inconscientemente.

Veja alguns títulos negativos baseados em dois tipos de medo, conforme observado nos parênteses:

  • É por isso que seu blog nunca terá sucesso (medo do fracasso)
  • Como fazer networking em conferências se você não for extrovertido (medo de rejeição)

Coloque essas dicas de neuromarketing em prática

Chegou a hora de usar o seu cérebro para conquistar o da sua audiência.

Agora, coloque essas dicas em práticas nos seus próximos conteúdos.

Por fim, se você quer ficar por dentro de mais estratégias como essa e das novidades do marketing digital, eu recomendo que você entre para o nosso Grupo do Telegram.

Nele, você recebe diariamente um resumão com os principais insights do mundo do marketing.

GRUPO DE TELEGRAM MARFIN
Ivan Cordeiro Junior
Ivan Cordeiro Junior
CEO e Fundador da Marfin. Engenheiro de Software e Especialista em Marketing Digital com mais de 10 anos de experiência de mercado e dezenas de formações internacionais, incluindo Google e Meta (Facebook).

Compartilhe:

Você também pode gostar: